loader

Blog

O que é Coeficiente de Sombra e como ele se aplica aos vidros?

Você sabia que o tipo de vidro escolhido pode ser determinante no que diz respeito à sensação de calor dentro de um ambiente? Todo e qualquer projeto no qual estejamos falando de vidros como elemento para conter a luz do sol, é fundamental verificar o chamado “coeficiente de sombra”.

Trata-se de um termo técnico que está presente na descrição dos vidros, mas é preciso compreender o significado dos índices para escolher o material mais adequado para cada tipo de obra. Neste artigo, falaremos sobre o coeficiente de sombra e sua aplicabilidade nos mais diversos tipos de projetos.

O que é Coeficiente de Sombra?

O chamado “coeficiente de sombra” (cs) é uma medida que calcula a eficiência da capacidade de ganho de calor por radiação solar. Em outras palavras, é a quantidade de calor que entra em uma edificação após passar pelos vidros, seja em razão da radiação solar (exposição direta) ou da condução térmica.

Dessa forma, o cs é empregado para se obter a melhor unidade de medida para analisar a quantidade de energia solar que um vidro pode receber. O índice é obtido a partir da razão entre o ganho de calor solar em um tipo de vidro e o ganho de calor solar de um vidro incolor, desde que ambos sejam observados nas mesmas condições.

Assim, quanto mais baixo for o coeficiente de sombra, menor será o ganho de calor. A referência a ser observada é a de um vidro incolor. Uma peça com 3 milímetros de espessura tem um CS equivalente a 1.00.

Por que observar o coeficiente de sombra nos vidros é importante?

Os vidros são parte essencial de um projeto. Além de influenciarem na passagem da luz e deixarem o ambiente mais bonito, eles também precisam impedir a claridade excessiva e o aumento de calor. Optar por vidros refletivos é uma alternativa viável, uma vez que eles são recomendados para lugares em que há grande incidência de raios solares, como fachadas de edifícios, janelas, varandas e coberturas.

A escolha de um vidro, seja ele para utilização em janelas, guarda-corpos, claraboias, anteparos ou revestimentos, deve primeiramente observar as normas técnicas vigentes para cada ambiente. Além disso, quando se trata de locais que receberão incidência de sol, é preciso levar em consideração o papel térmico que o vidro terá no conjunto.

A escolha de um vidro com coeficiente de sombra alto, por exemplo, pode resultar em um ambiente mais quente e abafado, obrigando os ocupantes a manterem as janelas abertas ou utilizarem o ar-condicionado com maior frequência. Em contra partida, quando o coeficiente de sombra do vidro escolhido é baixo, o conforto dentro da habitação pode ser maior, dispensando o uso de equipamentos eletrônicos para condicionamento da temperatura.

Construções que buscam certificações de sustentabilidade precisam ficar atentas aos vidros escolhidos. O simples fato de optar por um produto com cs mais baixo implica em um edifício com menor consumo de energia e, consequentemente, com menor impacto sobre o meio ambiente. 

Pode parecer ínfima a economia quando se pensa em um cômodo apenas, mas imagine centenas de janelas auxiliando a manter os ambientes em uma temperatura mais agradável. O resultado terá um impacto significativo no consumo de energia da construção como um todo. Em resumo: para quem projeta, além de ser uma escolha ecologicamente correta, é também um investimento em médio e longo prazo.

.....

Você ainda tem dúvidas sobre qual é a melhor opção na hora de escolher um vidro com coeficiente de sombra ideal para os seus projetos? A equipe de especialistas da Blue Glass está à sua disposição para orientá-lo sobre quais são as melhores alternativas para cada ambiente. Consulte-nos!